Amanhã na secção de Livros da revista ‘E’

O Ruído do Tempo, de Julian Barnes (Quetzal), por José Mário Silva
São Luís dos Portugueses em Chamas, de Tatiana Faia (Enfermaria 6), por Pedro Mexia
De Mal a Pior, de Vasco Pulido Valente (D. Quixote), por Luís M. Faria
Ruídos e Motins, de João Rasteiro (Palimage), por José Mário Silva

Amanhã na secção de Livros da revista ‘E’

– Artigo sobre o regresso de colecções antigas (Vampiro, Livros RTP, Plural) e criação de novas (Livros Amarelos), por José Mário Silva
Manual para Mulheres de Limpeza, de Lucia Berlin (Alfaguara), por Pedro Mexia
À Beira da Água, de Paul Bowles (Quetzal), por Luís M. Faria
O Amor em Lobito Bay, de Lídia Jorge (D. Quixote), por José Mário Silva
A Maçã de Cézanne… e Eu, de D.H. Lawrence (Sistema Solar), por José Guardado Moreira
A Liga dos Cavalheiros Extraordinários: Século, de Alan Moore e Kevin O’Neill (Devir), por Sara Figueiredo Costa
Faróis Acesos À Procura do Oceano, de Pablo García Casado (Do Lado Esquerdo), por José Mário Silva

Amanhã na secção de Livros da revista ‘E’

O caso do camarada Tulaev, de Victor Serge (E-primatur), por Luís M. Faria
Dez de Dezembro, de George Saunders (Ítaca), por Pedro Mexia
Corações Irritáveis, de João Paulo Guerra (Clube do Autor), por António Loja Neves
Deus Ajude a Criança, de Toni Morrison (Presença), por José Mário Silva
Rumo ao Mar Branco, de Malcolm Lowry (Livros do Brasil), por José Guardado Moreira
Antes da Iluminação, de Mariano Alejandro Ribeiro (Mariposa Azual), por José Mário Silva
Kallocaína, de Karin Boye (Antígona), por José Guardado Moreira

Amanhã na secção de Livros da revista ‘E’

Um Copo de Cólera, de Raduan Nassar (Companhia das Letras), por Pedro Mexia
História do Espelho, de Sabine Melchior-Bonnet (Orfeu Negro), por Celso Martins
Anunciações, de Maria Teresa Horta (Dom Quixote), por José Mário Silva
Tudo pelo Poder, de Rui Cardoso (Matéria-Prima), por António Loja Neves
O Eterno Marido, de Fiódor Dostoievski (Presença), por Luís M. Faria
Os Jardins de Luz, de Amin Maalouf (Marcador), por José Guardado Moreira
Dramas de Companhia, de André Domingues (Companhia das Ilhas), por José Mário Silva

Um mapa literário

Ler e Ver Lisboa
Autores: Vários
Editora: Associação Prado/EGEAC
N.º de páginas: 191
ISBN: 978-989-20-6669-1
Ano de publicação: 2016

Nos últimos anos, à medida que a capital foi sendo invadida por turistas, surgiram muitos livros sobre Lisboa e os seus segredos históricos, gastronómicos, culturais, etc. Nenhum tão inventivo e original como este guia literário que reúne 20 escritores e 20 artistas plásticos, empenhados em sobrepor um mapa imaginário ao mapa real. Mais geométricas ou mais figurativas, as ilustrações de Alex Gozblau, André Carrilho, Bárbara Assis Pacheco ou Bernardo Carvalho são um regalo para a vista. A principal riqueza do volume, porém, está nas ficções em prosa, que «acrescentam Lisboa a Lisboa, tornam-na mais densa». Patrícia Portela desce às galerias romanas; Rui Cardoso Martins dá voz à estátua de Fernão de Magalhães, na Praça do Chile; Gonçalo M. Tavares faz-nos subir e descer as Escadinhas do Duque; Joana Bértholo recorre ao Google Street View; Kalaf deambula pela Avenida Almirante Reis; Sandro William Junqueira senta-se no eléctrico 28, ao lado de uma grávida abandonada; Rui Zink conduz uma castiça perseguição policial até à belíssima igreja de São Domingos, «pérola de Lisboa e do mundo». Estas e as outras histórias, em vez de descrever a cidade, reinventam-na. Mais não se pode pedir.

Avaliação: 7,5/10

[Texto publicado na revista E, do semanário Expresso]

Amanhã na secção de Livros da revista ‘E’

– Sugestões de Verão, por José Guardado Moreira, José Mário Silva, Luís M. Faria e Pedro Mexia
Casos de Direito Galáctico e Outros Textos Esquecidos, de Mário-Henrique Leiria (E-Primatur), por José Mário Silva
Lacre – Traduções e Versões de Poesia, de Vasco Gato (Língua Morta), por Pedro Mexia
Psiquiatras – Uma História por Contar, de Jeffrey A. Lieberman (Temas e Debates), por Luís M. Faria
Narciso e Goldmund, de Hermann Hesse (Dom Quixote), por José Guardado Moreira
Marco Paulo é a Minha Religião, de Popedelrey e João Tércio (El Pep), por Sara Figueiredo Costa
Guadalupe, de Angélica Freitas e Odyr (Polvo), por José Mário Silva

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges