Catálogo de bibliotecas

biblioteca do Mosteiro de Strahov, Praga

São às dezenas. Lindíssimas, enormes, de cortar a respiração. Algumas portuguesas, incluindo a que é considerada “possivelmente a mais bela de todas” (Real Gabinete Português de Leitura do Rio de Janeiro).
Contemplem e embasbaquem-se, ó bibliófilos.

[Link sugerido “como, digamos, prenda atrasada de inauguração” pelo Rogério Casanova]

A biblioteca vazia

Não é só em Portugal que a Cultura sofre tratos de polé. Devido a desentendimentos entre as autoridades regionais galegas e o Ministério da Cultura espanhol, a novíssima biblioteca pública de Santiago de Compostela foi inaugurada terça-feira… sem livros.

[via Cadeirão Voltaire]

Uma casa para os livros, segundo Siza

biblioteca Viana do Castelo

A nova Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, desenhada por Álvaro Siza e orçada em cerca de 4,5 milhões de euros, será inaugurada no próximo dia 20 de Janeiro.

Reforços

Ali atrás, esqueci-me evidentemente de referir que também há amantes dos livros que oferecem livros a outros amantes dos livros. Uma felicidade que se traduziu, este Natal, em três capas:

mundo das nuvensbook of clouds
moments oulipiens

Felizes, a sub-biblioteca das nuvens e a sub-biblioteca oulipiana já receberam os novos hóspedes.

Alberto Manguel e as bibliotecas

Nem sei bem como, descobri este programa curto intitulado Café con Libros (creio que espanhol, mas não tenho a certeza). O episódio aborda de forma bastante engenhosa o livro La Biblioteca de Noche, de Alberto Manguel, cruzando depoimentos de várias pessoas que leram o livro, o descrevem e comparam as suas experiências pessoais com as do autor. O fascínio de Manguel com as bibliotecas (em pequeno queria ser bibliotecário, o que não surpreende quem conheça as suas obras) leva cada um dos colaboradores do programa a falar daquela que preferem ou na qual viveram melhores experiências. Todas as evocações são interessantes mas atentem, por favor, nos BiblioBurros da Colômbia, espécie de biblioteca itinerante da Gulbenkian em que as carrinhas Citröen foram substituídas por heróicos exemplos da persistência asinina. Uma delícia.

Estudos Helénicos na Biblioteca de Alexandria

biblioteca de alexandria

A Biblioteca de Alexandria vai criar até ao fim de 2008 um Centro Alexandrino de Estudos Helénicos, com o objectivo de criar uma ponte cultural no Mediterrâneo, foi hoje anunciado em Atenas.
O projecto é apoiado pelas duas maiores fundações gregas, a Alexander Onassis e a Vardinoyaneiko, que pela primeira vez juntaram esforços para fundar um centro de estudos de pós-graduação para investigadores de todo o mundo em Filosofia, História, Literatura e Belas Artes clássicas.

[Fonte: Lusa]

« Página anterior

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges