Boa nova

A mui esperada tradução do vila-matasiano Diário Volúvel, pelo Jorge Fallorca, «aproxima-se vertiginosamente do final». Pelo menos é o que ele diz, a uma semana de se instalar numa pensão de Porto Covo, terreola virada ao mar onde apanhará cravos-das-dunas e «pedras para construir paisagens inventadas, celebrar a nova década que aí vem».



Comentários

One Response to “Boa nova”

  1. fallorca on Junho 22nd, 2009 19:49

    Não perdes uma :)
    Conheces o site do Vila-Matas? vai a traducciones e tens lá a epopeia do que tem sido a tradução et pour cause
    http://www.enriquevilamatas.com/

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges