Livrarias preferidas

Para Vasco Santos (editor da Fenda), é a parisiense La Hune (não existindo já a Atlântida, em Coimbra, essa «ampola miraculosa de palavras, de coisas mentais»).

Para Rui Bebiano, é a Esperança, no Funchal, com a sua «arquitectura quase labiríntica (…) impondo uma sensação de retiro e de suspensão no tempo».



Comentários

2 Responses to “Livrarias preferidas”

  1. fallorca on Outubro 15th, 2009 19:56

    Já me tinham contado, mas ver «o arraial» é inacreditável 😀

  2. AndréM on Outubro 16th, 2009 9:08

    Que saudades de La Hune…

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges