Roubo à mão (des)armada

A editora Tribuna da História pilhou, não há outra forma de o dizer, uma ilustração do Pedro Vieira, sacando-a da Internet e reproduzindo-a num dos seus livros, sem assinalar a autoria e sem pagar os respectivos direitos. A história está contada pelo Pedro aqui, com a habitual ironia e sarcasmo, forma oblíqua de expressar a indignação e a tristeza. Mas eu diria que isto não vai lá com ironias. O que a Tribuna da História fez tem um nome: roubo. Roubo descarado. Roubo sem vergonha. Roubo escandaloso. E tem que pagar por ele. Repito: o caso não se resolve apenas com o repúdio (espero que generalizado) da blogosfera e o eventual boicote dos leitores. Até pelos precedentes que abre, a infracção deve ser punida exemplarmente. E por isso sugiro que o Pedro, ou alguém por ele, leve – passe o quase pleonasmo – a Tribuna a Tribunal.



Comentários

2 Responses to “Roubo à mão (des)armada”

  1. Rui Almeida on Julho 31st, 2009 17:05

    Zé Mário,
    Pelos vistos não é caso único. Eis outro, q me parece bem mais grave (e este já é grave): http://frenesi-livros.blogspot.com/2009/07/os-azeiteiros-da-artes-leitoes.html

  2. Inês Ramos on Julho 31st, 2009 23:17
«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges