Será que 2010 é um mau ano para se ser escritor?

Robert McCrum, jornalista que escreve sobre livros no The Guardian, acha que não. As mudanças em curso no mundo editorial são muitas e, nalguns casos, radicais. Mas ele acredita que a missão essencial do escritor continuará a ser a mesma:

«No one – literally no one – knows precisely how this will play out. The ongoing process of change is sponsoring all kinds of apocalyptic visions. Optimistically, however, I’d speculate that no amount of structural change and/or professional streamlining will alter the writer’s essential task: to sit alone from day to day, in a room, putting words down, one after the other, on the page.»



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges