Um poema por dia

No blogue Atravessando o Inverno, o poeta Paulo Tavares (já publicado pelas Quasi), resolveu à sua maneira o facto de «as “programações editoriais” portuguesas estarem “demasiado sobrecarregadas”». Não querendo esperar pela edição dos seus próximos três livros em papel, decidiu partilhá-los com os leitores da blogosfera, ao ritmo de um poema por dia. A primeira obra a ser divulgada desta forma é Atravessando o Inverno (47 poemas, ver índice aqui), que começa com os seguintes versos:

AO LER UM POEMA

As âncoras e as raízes
são fundamentais: umas aos barcos,
outras às plantas, ambas aos seres humanos.
São também palavras belas, embora representem
o poder da inércia e o obscuro das profundidades.
Por vezes é preciso esquecê-las
ao ler um poema.

Seguir-se-ão Minimal Existencial (30 poemas) e Linhas de Hartmann (um poema longo dividido em oito partes).



Comentários

One Response to “Um poema por dia”

  1. Manuel da Mata on Janeiro 29th, 2009 17:34

    Boa tarde,

    Decisão ajuizada e filantrópica. Que nunca a pena lhe doa, porque ler este poeta dve valer a pena.
    Conqunato não seja um caso único.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges