Uma amendoeira desfocada

«Floriu, subitamente. Levantei os olhos do teclado e ali está ela, esquissada e leve como uma pintura japonesa, desamparada entre a velocidade do rail e o apetite imobiliário. Não a via há muitos anos, usei os olhos cheios de campos ladeados de amendoeiras floridas; paleta inesquecível. Deve ter sido pintada pela morrinha que se pôs; não a vi enquanto apanhava a roupa.»

O texto é de Jorge Fallorca (apanhei-o aqui).



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges