A caligrafia de Matilde

Este é um dos muitos poemas que Matilde Rosa Araújo copiava à mão («numa altura em que não havia fotocópias, muito menos scanners e impressoras») para dar a ler às suas alunas do Magistério.

[via blogue da Planeta Tangerina]



Comentários

3 Responses to “A caligrafia de Matilde”

  1. fallorca on Julho 15th, 2010 12:55

    A tal escrita à mão…

  2. Pedro Sousa on Julho 15th, 2010 16:11

    Tenho para mim que a letra manuscrita de escritores tem sempre um certo grau de beleza, mesmo que algo subjectivo. Quando estes possuem o ofício de professores do ensino primário, essa beleza acaba por ser algo infantil, ou pelo menos lembram-me os meus tempos de infância.

    Uma das poucas excepções que conheço são os “garatujos” quase ilegíveis de Clarice Lispector, cujos manuscritos tive a oportunidade de ver há bem pouco tempo, algures online. Neste caso que refiro, creio que estão de parabéns os editores/redactores/revisores desta (grande) senhora por tal capacidade de decifrar.

  3. csd on Julho 16th, 2010 8:55

    linda!

    a minha é constituída por gatafunhos piores que a letra dos médicos.

    ou dos miúdos da primária.

    csd

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges