Correntes d’Escritas 2012 – programa

Acaba de ser apresentado, na Póvoa de Varzim, o programa completo da 13.ª edição das Correntes d’Escritas. Este ano, haverá sete mesas redondas na Póvoa e uma em Lisboa:

MESA 1
Dia 23 de Fevereiro, quinta-feira, 17h00 (Auditório Municipal)
Tema: “A Escrita é um risco total” – Eduardo Lourenço
Participantes: Almeida Faria, Ana Paula Tavares, Eduardo Lourenço, Hélia Correia e Rubem Fonseca
Moderador: José Carlos de Vasconcelos

MESA 2
Dia 24, sexta-feira, 10h30 (Auditório Municipal)
Tema: “O fim da arte superior é libertar” – Fernando Pessoa
Participantes: Alberto S. Santos, Fernando Pinto do Amaral, José Jorge Letria, Luís Quintais, Sofia Marrecas Ferreira e Care Santos
Moderador: João Gobern

MESA 3
Dia 24, sexta-feira, 15ho0 (Auditório Municipal)
Tema: A Poesia é o resultado de uma perfeita economia das palavras
Participantes: Jaime Rocha, João Luís Barreto Guimarães, Manuel António Pina, Manuel Rui e Margarida Vale de Gato
Moderador: Ivo Machado

MESA 4
Dia 24, sexta-feira, 17h30 (Auditório Municipal)
Tema: Toda a literatura é pura especulação
Participantes: Eduardo Sacheri, Inês Pedrosa, João Bouza da Costa, Manuel Jorge Marmelo, Pedro Rosa Mendes e Rosa Montero
Moderadora: Bia Corrêa do Lago

MESA 5
Dia 24, sexta-feira, 22h00 (Auditório Municipal)
Tema: A escrita é um investimento inesgotável no prazer
Participantes: Afonso Cruz, Ana Luísa Amaral, Júlio Magalhães, Manuel Moya, Rui Zink e Valter Hugo Mãe
Moderador: Henrique Cayatte

MESA 6
Dia 25, sábado, 10h30 (Auditório Municipal)
Tema: Da crise da escrita não se pode fugir
Participantes: Carmo Neto, João Pedro Marques, Miguel Real, Sandro William Junqueira, Valeria Luiselli e Salgado Maranhão
Moderador: Onésimo Teotónio Almeida

MESA 7
Dia 25, sábado, 16h00 (Auditório Municipal)
Tema: “As ideias são fundos que nunca darão juros nas mãos do talento” – Antoine Rivarol
Participantes: Eugénio Lisboa, Gonçalo M. Tavares, Helena Vasconcelos, João de Melo, Luís Sepúlveda e Onésimo Teotónio Almeida
Moderadora: Maria Flor Pedroso

MESA 8
Dia 28, terça-feira, 18h30 (Instituto Cervantes, Lisboa)
Tema: Traços de crise enriquecem o texto literário
Participantes: Afonso Cruz, Ana Paula Tavares, Care Santos, Manuel Moya e Valeria Luiselli
Moderadora: Helena Vasconcelos

A sessão de abertura está marcada para dia 23, às 11h00, no Casino da Póvoa, com a presença de Francisco José Viegas, Secretário de Estado da Cultura. Logo depois, será apresentado o novo número da revista das Correntes (inteiramente dedicada à figura de Eduardo Lourenço) e anunciados os vencedores de vários prémios literários: o Prémio Casino da Póvoa, no valor de 20 mil euros (ver lista de finalistas aqui); o Prémio Papelaria Locus (para jovens com idade compreendidas entre os 15 e os 18 anos); o Prémio de Conto Infantil Ilustrado (organizado pela Porto Editora); e o Prémio Fundação Dr. Luís Rainha (para um livro inédito de poesia, prosa, contos ou ensaio cuja temática seja a Póvoa de Varzim).
Haverá ainda uma conferência proferida por Dom Manuel Clemente, bispo do Porto (dia 23, 15h00), uma exposição de fotografias de Jorge Barros (Aproximações, na Biblioteca Municipal Rocha Peixoto), as habituais visitas de autores às escolas do concelho, o lançamento de 15 livros e a cerimónia de entrega dos prémios Ler/Booktailors (sábado, dia 25, às 19h30, após a sessão de encerramento).



Comentários

4 Responses to “Correntes d’Escritas 2012 – programa”

  1. dlf on Fevereiro 2nd, 2012 13:34

    Sempre os mesmos, sempre a mesma coisa. Bocejo.

  2. Inês Azevedo on Fevereiro 2nd, 2012 21:30

    se o rubem fonseca não vem vou morrer com uma desilusão muito aguda!

  3. MiC on Fevereiro 2nd, 2012 21:34

    Demasiado semelhante realmente… mas este ano há uma ausência. José Mário onde estás? Um abraço!

  4. Prémio Casino da Póvoa para Rubem Fonseca | Bibliotecário de Babel on Fevereiro 23rd, 2012 12:35

    […] O escritor brasileiro encontra-se na Póvoa de Varzim para participar na edição deste ano das Correntes d’Escritas, que começa hoje. Logo à tarde, a partir das 17h00, Fonseca estará na primeira mesa redonda, com […]

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges