Mais logo, às dez

A partir das 22h00, no Bar A Barraca (Teatro Cinearte, Largo de Santos, 2), o Changuito lê Mário Cesariny, o mestre que paira sobre a sua secretária lá na «livraria dos poemas» (como diz a minha filha).
A entrada é livre.
A 26 de Maio, será a vez de Herberto Helder. A 2 de Junho, Alexandre O’Neill.



Comentários

One Response to “Mais logo, às dez”

  1. Diogo on Maio 19th, 2009 19:53

    Por falar em Barraca:

    Jon Stewart – A gripe suína e a pandemia do medo

    CNN: Notícia de última hora. Há uma nova estirpe altamente contagiosa da gripe e, neste momento, o número de mortos está a aumentar. Vamos a caminho de uma pandemia?

    Jon Stewart: M… para isto! Uma pandemia? A sério? Uma pandemia também. [Jon vira-se para Deus] É obra Sua? Uma pandemia? Não acha que já é demais? Elegemos Obama, o muçulmano cristão. Que mais quer Ele de nós? Agora, devia tirar o pé do acelerador! Mas há cerca de duas horas que não vejo as notícias, portanto, vamos ver em que ponto estamos.

    CNN: A gripe suína pode matar dezenas de milhões de pessoas, se não for travada.

    Jon Stewart: É a m… mais assustadora que ouvi a semana toda. Conseguiram. Estou em pânico. Mais alguma coisa que queiram acrescentar?

    Flashes noticiosos: 1 – Não quero entrar em pânico. 2 – Não queremos causar pânico. 3 – Não queremos causar o pânico com esta notícia, mas é uma notícia importante.

    Jon Stewart: Nem sequer vêem as vossas próprias estações de televisão? Vocês são a única razão para estarmos em pânico! Já que vamos morrer todos, acho que é justo perguntar: O que é a gripe suína?

    Especialista: Tem componentes genéticos de uma série de fontes, incluindo humanas, suínas e aviarias.

    Jon Stewart: É uma mistura de fontes humanas, suínas e aviarias. Só há duas formas de isso acontecer: uma mutação genética que atravessa as três espécies ou um idiota que f… uma sanduíche de peru e bacon.

    Vídeo legendado em português

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges