Primeiros parágrafos

«I was born twice. First in a wooden room that jutted out over the black water of the Thames, and then again eight years later in the Highway, when the tiger took me in his mouth and everything truly began.
Say Bermondsey and they wrinkle their noses. Still, it was the home before all other homes. The river lapped beneath us as we slept. Our door looked out over a wooden rail into the channel at the front, where dark water heaved up an odd sullen grey bubble. If you looked down through the slats, you could see things moving in the swill below. Thick green slime, glistening in the slosh that banged up against it, crept up the crumbling wooden piles.»

[in Jamrach’s Managerie, de Carol Birch, Canongate, 2011]



Comentários

One Response to “Primeiros parágrafos”

  1. Rui Manuel Amaral on Agosto 5th, 2011 17:16

    “Agora vou contar como nasci, como cresci e como se revelaram em mim os primeiros indícios de génio. Nasci duas vezes. Eis como tudo aconteceu:
    O meu papá casou com a minha mamã em 1902, mas os meus progenitores trouxeram-me à luz do dia apenas em finais de 1905 porque o papá exigia que o seu filho nascesse obrigatoriamente na passagem do ano.
    (…)
    Por conseguinte, a minha concepção deu-se a 1 de Abril de 1905.
    Apesar disso, todos os cálculos do papá saíram furados porque nasci prematuro, quatro meses antes do prazo.
    O papá encrespou-se de tal maneira que a parteira que assistia ao parto se atrapalhou e se pôs a enfiar-me de volta donde tinha saído.
    Um conhecido nosso que estava presente, estudante da Academia Médica Militar, declarou que não seria possível enfiar-me de volta. No entanto, apesar das palavras do estudante, acabaram por me enfiar e, como de resto viria verificar-se mais tarde, enfiar enfiaram, mas à toa, no sítio errado.
    (…)
    Ora, a parturiente grita e exige ali o seu filho.
    Foram obrigados a chamar um médico experiente. O médico experiente examinou a parturiente e, abrindo os braços de espanto, encontrou no entanto uma solução e deu à parturiente uma boa dose de magnésia. A parturiente defecou e, deste modo, saí à luz pela segunda vez.”

    Daniil Harms, “A velha e outras histórias”.

    Uma curiosidade: esta história ainda dá mais uma volta e o filho acaba por nascer uma terceira vez.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges