Primeiros parágrafos

«É um mar de cores, vivas e húmidas, debicadas pelo zumbido dos insectos. O rosmaninho polvilha o verde, nódoa lilás salpicada pelo vermelho das papoilas e o amarelo dos malmequeres, ensombrada pelas nuvens que se precipitam para o rio, atrás do Sol.
De vez em quando, ouve-se um balido, uma voz, o estalido de um galho quebrado. E, no entanto, nenhum barulho de passos denuncia a presença de mais alguém – nem mesmo a dos animais que devem pastar algures, para justificar o texto que me impede de ouvir o silêncio que acabo de quebrar.»

[in O livro do fim, de Jorge Fallorca, edição do autor, 2012]



Comentários

One Response to “Primeiros parágrafos”

  1. CSD on Outubro 4th, 2012 9:48

    Quero.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges