2013

Ao contrário do que desejei há um ano, houve em 2012 mais austeridade do que esperança. Para 2013, não faço vaticínios. Olhando para o estado do país (e, já agora, do Sporting), seria fácil dizer que a situação não pode ficar pior do que está. Mas todos sabemos que pode ficar pior. Aliás, todos sabemos que vai mesmo ficar pior. Por isso, desejo apenas que consigamos todos resistir o melhor possível a este apocalipse económico (e, já agora, desportivo). Em 2014 cá estaremos, espero que já com um futuro digno de ser vivido no horizonte.
Também por isso, porque não deixo de acreditar no futuro dos meus filhos, pedi à Alice para desenhar o desejo de bom ano para todos os leitores deste blogue. Ei-lo:



Comentários

One Response to “2013”

  1. Miguel Coelho on Janeiro 2nd, 2013 21:09

    Bom ano José Mário. Que em 2013 continues a partilhar um pouco do teu mundo que engrandece o meu.

    Um abraço!

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges