A máquina lírica

capa_Amante Japonês

O Amante Japonês
Autor: Armando Silva Carvalho
Editora: Assírio & Alvim
N.º de páginas: 108
ISBN: 978-972-37-1308-4
Ano de publicação: 2008

Armando Silva Carvalho reuniu recentemente a sua obra poética, iniciada há mais de quatro décadas, num volume cujo título é todo um programa (O Que Foi Passado a Limpo, Assírio & Alvim, 2007). Existe de facto nesta escrita uma procura do rigor a partir de sucessivas depurações, rasuras e insistências, partindo da ética oficinal aplicada ao trabalho da linguagem – na linha de um Carlos de Oliveira, por exemplo.
Neste O Amante Japonês, último opus de ASC, surge-nos uma “máquina lírica” que está longe de ser, como em Herberto Helder, uma abstracção. Muito pelo contrário: o japonês a que o título alude é simplesmente um automóvel made in Japan. Tão prosaico quanto isto. É com esse “animal acabrunhado” feito de chapa e quatro rodas, esse “Pégaso cansado” que voa baixinho rente ao asfalto (e no interior do qual se erguem “palácios de palavras no ar ao nível do volante”), é com esse interlocutor mudo que o sujeito poético estabelece uma cumplicidade sempre mais melancólica do que eufórica.
Estamos, como se adivinha, diante de um tour de force que nem sequer dispensa a intertextualidade assumida (envios a Camilo Pessanha, Pessoa, Novalis, Herberto, William Blake, entre outros) e que só não se desmorona porque consegue manter um distanciamento irónico, ou uma sombria lucidez, em relação ao seu objecto: “Pobre carro de um pobre num país de pobres. / Um cão lento e sem pêlo que vai onde lhe permite o dobrar da pobreza / Forçando a pele da boca contra a resistência / Do açaime.”

Avaliação: 8/10

[Texto publicado no número 70 da revista Ler]



Comentários

4 Responses to “A máquina lírica”

  1. diga cultura on Julho 3rd, 2008 18:53

    A máquina lírica

    Armando Silva Carvalho reuniu recentemente a sua obra poética, iniciada há mais de quatro décadas, num volume cujo título é todo um programa (O Que Foi Passado a Limpo, Assírio & Alvim, 2007).

  2. Margarida F. on Julho 4th, 2008 8:45

    que bela capa.

  3. Grande Prémio de Poesia APE para Armando Silva Carvalho | Bibliotecário de Babel on Julho 7th, 2009 18:12

    […] mil euros. A obra distinguida é O Amante Japonês (Assírio & Alvim), sobre a qual escrevi aqui. O júri, que decidiu por unanimidade, foi composto por Maria João Reynaud, Gastão Cruz e Carlos […]

  4. Comentário aos três prémios da APE | Bibliotecário de Babel on Julho 9th, 2009 15:02

    […] Silva Carvalho: aceitável. Embora não seja um dos melhores livros de Armando Silva Carvalho, O Amante Japonês foi sem dúvida um dos melhores volumes de poesia de 2008 (cf. a minha lista aqui). Acontece que, […]

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges