A nova estratégia da APEL

Depois de um ano de 2008 muito conturbado, com guerras e guerrinhas que quase comprometeram a realização da Feira do Livro de Lisboa, a APEL, que passou a ser dirigida por Rui Beja, parece estar disposta a pacificar o sector editorial. A apresentação antecipada do novo modelo de Feira foi um primeiro passo. Agora, anuncia-se uma «abertura à sociedade», com uma revalorização do movimento associativo, novos modelos de formação profissional e até «tertúlias para troca de conhecimentos, impressões e debate cultural», a realizar em 2009 na sede da APEL.
As intenções são boas, claro. Falta só ver até que ponto serão capazes de sair do papel, sobretudo tendo em conta que algumas das feridas abertas (ou reabertas) durante a crise da Feira do Livro, no ano passado, estão longe de estar saradas.



Comentários

3 Responses to “A nova estratégia da APEL”

  1. Pedro Lérias on Dezembro 27th, 2008 17:30

    De boas intenções está o inferno cheio, já ouvi dizer.

    Mantêm-se os maltratos aos livreiros em prol de (alguns) editores. A APEL é muito mais a APE do que é APL. As feiras do livro continuam a excluir livreiros e continua-se a insistir junto da CML e da CMP na exclusividade da feira do livro, não permitindo outras iniciativas semelhantes.

    Não me parecem acções de alguém cheio de ‘boas intenções’ mas sim de alguém a defender o seu quinhão, com prejuízo, a meu ver, dos leitores e contribuintes (a dar dinheiro, e não é pouco, para uma actividade comercial e não cultural, como se pretende).

  2. Nocturna on Dezembro 27th, 2008 21:34

    Seria muito bom que a APEL e a UEP , se empenhassem em defender todos os seus associados,livreiros e editores. Mas acima de tudo se preocupassem em realizar actividades que estimulassem os leitores. Quando se ler muito, ganham os editores e os livreiros.
    Até aqui estas duas entidades apenas estiveram interessadas em defender os grandes grupos, quer de livrarias quer de editoras. Basta lembrar o triste espectáculo da feira do livro de 2008,do braço de ferro da Leya contra todos os outros editores. Ganhou o gigante , é claro.
    Tenhamos enquanto leitores, esperança em 2009

  3. pavel apelitovitch on Dezembro 31st, 2008 0:48

    APEL, s.f. (do gr. appelos, alcoviteira) Associação que vive do subsídio camarário para organizar uma Feira do Livro para a qual recebe ainda chorudas incrições dos editores presentes, sem contrapartidas, sem seguros de saúde em caso de acidente, sem apoio (vulgo “staff”). Ver: chulo, meretriz.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges