A superfavorita

Segundo as principais casas de apostas do Reino Unido, este ano o Man Booker Prize já está mais do que encaminhado. A julgar pelos palpites registados até agora, muitos deles com origem em insiders do meio literário britânico, 2009 deve ser o ano de consagração de Hilary Mantel, cujo romance histórico (Wolf Hall, um calhamaço que se passa no reinado de Henrique VIII) está claramente na dianteira nas odds da William Hill: 2/1, contra os 4/1 de Colm Tóibín e Sarah Waters, e os 6/1 de J.M. Coetzee e James Lever.



Comentários

3 Responses to “A superfavorita”

  1. Gerana Damulakis on Agosto 4th, 2009 2:33

    Coetzee sempre!

  2. António on Agosto 4th, 2009 9:28

    “Brooklyn” de Colm Tóibín é fortíssimo, e não ficaria surpreendido se lerpasse com o Booker deste ano. No início assemelha-se a uma recuperação um tanto estéril de Henry James com os previsíveis salpicos de sensibilidades modernas, mas a meio do livro a protagonista torna-se-nos dolorosamente querida. No final, ficamos com um livro que é muito mais comovente do que James conseguia normalmente alcançar com a queda dos seus cordeirinhos sacrificiais mecânicos que regularmente expatriava.

    Também ajuda que seja praticamente impossível encontrar falhas num discurso tão comedido, exacto, doseado.

    A principal pergunta é agora: quando é que eu vou arranjar tempo para ler isto tudo quando ainda nem acabei os Goncourts do ano passado?

    Abraços,

    – António

  3. Danton por Hilary Mantel | Bibliotecário de Babel on Agosto 14th, 2009 16:32

    […] Mantel, a principal favorita à vitória no Booker (segundo as agências de apostas), analisa em detalhe uma biografia de Danton (escrita por David […]

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges