Advérbios de modo

Neste momento, ao aceder ao site da Byblos deparamos apenas com a indicação de que o mesmo se encontra «temporariamente indisponível…» Acontece que o advérbio está mal escolhido: infelizmente, onde se lê «temporariamente» devia ler-se «definitivamente».



Comentários

8 Responses to “Advérbios de modo”

  1. Paulo Ferreira on Novembro 20th, 2008 17:44

    Caro José Mário
    a Byblos tal como a conhecemos poderá estar definitivamente encerrada. Mas não é claro ainda que não se venha a conhecer uma Byblos 2.0.

    Pelo que se tem ouvido, esse parece ser um cenário a considerar.

    abraço
    paulo

  2. José Mário Silva on Novembro 20th, 2008 18:13

    Eu sei, Paulo. Mas não me parece que continue a chamar-se Byblos. Certo?

  3. Eduardo Serra Lopes on Novembro 20th, 2008 18:13

    sim, estou certo que alguém vai pegar naquilo…

  4. Paulo Ferreira on Novembro 20th, 2008 18:17

    Olá Zé Mário,
    não vejo porque não.
    Abraço

  5. José Mário Silva on Novembro 20th, 2008 18:22

    OK, Paulo, veremos. Algo me diz que o espaço pode ser comprado por uma rede livreira já existente ou por uma que ainda não exista mas queira começar justamente ali.
    Dito isto, os problemas de localização mantêm-se, como é evidente. E não sei até que ponto haverá quem queira correr os mesmos riscos que o ex-patrão da ASA correu.

  6. Paulo Ferreira on Novembro 21st, 2008 1:21

    Zé Mário,
    o espaço era alugado. Mas concordo que algum grupo se possa apropriar do que ainda há para apropriar…
    abraços

  7. José Mário Silva on Novembro 21st, 2008 13:01

    Tens razão, Paulo. O espaço era alugado e o preço exorbitante do aluguer talvez tenha sido uma das causas do buraco financeiro em que a Byblos caiu. A minha dúvida é esta: a quem é que vai ser vendido o material tecnológico ali montado, da estante robotizada ao sistema de leitura por rádiofrequência?

  8. Paulo Ferreira on Novembro 21st, 2008 15:04

    É uma excelente pergunta. Infelizmente, acho que sabemos qual a resposta….
    .

    abraço

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges