‘Alice?’

papa-livros

A exposição abriu esta tarde, infelizmente a demasiados quilómetros de distância da Alice cá de casa, que se entreteve, durante o almoço, a desenhar no papel de mesa do restaurante (à desgarrada com o irmão) versões mais ou menos imateriais do gato de Cheshire e do seu sorriso, com corpo e sem corpo.



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges