Amanhã, na secção de Livros do ‘Actual’

Beatriz e Virgílio, de Yann Martel (Presença), por José Mário Silva
À Porta Fechada, de Laurence Rees (Dom Quixote), por Luís M. Faria
Porque é que o seu mundo vai ficar muito mais pequeno, de Jeff Rubin (Lua de Papel), por Virgílio Azevedo
Einstein & Oppenheimer – O significado do génio, de Silvan S. Schweber (Bizâncio), por Paulo Nogueira
O Complexo de Portnoy, de Philip Roth (Dom Quixote), por Ana Cristina Leonardo
Morfologia Social, de Maurice Halbwachs (Edições 70), por António Guerreiro



Comentários

One Response to “Amanhã, na secção de Livros do ‘Actual’”

  1. isabel ribeiro on Julho 18th, 2010 10:35

    Excelente texto o da Ana C. Leônardo sobre “O complexo de Portnoy” de Roth. Neste meu devorar de livros ( e lá vem à cabeça o Leonardo, o Firmin e o Rapaz que comia livros) ando num rodopio entre “A Felicidade” de Baulenas, este com um autógrafo roubado ao escritor, graças à perspicácia do meu amigo Paulo Moreiras, e “O complexo de P.” Daí sentir que o comentário tecido pela autora do artigo, nesta “Actual” dá uma imagem fiel da problemática abordada por Roth, tão ao jeito dele. Para mim, trata-se de uma primeira leitura desta obra, depois de ter presa às anteriores: “Fantasma sai de cena” e “Património”.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges