Antologia

Das várias dezenas de ‘tragédias em cinco palavras’ que os leitores deste blogue foram deixando numa caixa de comentários, seleccionei 20 das que me pareceram melhores. Ei-las:

«Havia mais alguém na sala.» (Miguel)

«Banqueiros por todos os lados.» (Rui Almeida)

«Debaixo do meteorito, uma cidade.» (Rui Almeida)

«O berço vazio ainda boiava.» (Rui Almeida)

«No dia seguinte ninguém morreu.» (José Saramago/Rui Almeida)

«O açucareiro continha soda cáustica.» (fábricailu)

«Amanhã nunca será outro dia.» (Kátia Weber)

«Que idade é que tens?» (Tito Couto)

«Nascer Três, Duas foi Ele.» (Artur Portela)

«Bateu no fundo. Havia vidros.» (Francisco Agarez)

«Bolas, fiquei sem pára-quedas suplente.» (ZCV)

«Sentiu um formigueiro no braço.» (José Veiga de Almeida)

«A namorada lia avidamente Céline.» (José Veiga de Almeida)

«Eu açaimei o cão, juro!» (José Veiga de Almeida)

«Estático olhou a jaula… vazia» (marialeitora)



Comentários

One Response to “Antologia”

  1. artur semedo on Fevereiro 2nd, 2011 14:17

    será que ainda vou a tempo?
    aqui vai:

    programa de estabilidade e crescimento.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges