Anunciados prémios APE e Pen

Não sei se é inédito, mas, se não for inédito, é raro. Ana Margarida de Carvalho acaba de ganhar o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores com o seu romance de estreia: Que Importa a Fúria do Mar (Teorema, 2013). E, mais relevante ainda, por unanimidade do júri, composto por José Correia Tavares, Annabela Rita, Cândido Martins, José Manuel de Vasconcelos, Teresa Carvalho e Virgílio Alberto Vieira, sendo que entre os finalistas se contavam os romances Para onde vão os guarda-chuvas, de Afonso Cruz (Alfaguara), e A Desumanização, de Valter Hugo Mãe (Porto Editora).
Foram também revelados os vencedores dos prémios do Pen Clube Português, quase todos ex aequo. Na poesia, Gastão Cruz (Fogo, Assírio & Alvim) e Golgona Anghel (Como Uma Flor de Plástico na Montra de um Talho, Assírio & Alvim); na narrativa, As Primeiras Coisas (Quetzal), de Bruno Vieira Amaral, também uma obra de estreia, e Ara (Sextante), de Ana Luísa Amaral; no ensaio, Para que Serve a História (Tinta da China), de Diogo Ramada Curto. Na categoria de primeiras obras, foram distinguidos Ensaio sobre o Pensamento Estético de Adorno (Vendaval), de João Pedro Cachopo, e o livro de poemas Cinza (Tinta da China), de Rosa Oliveira.



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges