Aplausos

Nas Correntes d’Escritas, é habitual ouvirem-se aplausos no final das sessões ou durante, quando uma determinada intervenção galvaniza a plateia. Este ano, na sessão de encerramento, houve um outro tipo de aplauso, intenso apesar de silencioso. Quando uma turma de alunos com deficiência auditiva subiu ao palco para receber um prémio, o público reagiu assim:

Mãos no ar, agitando-se. Foi o aplauso mais ruidoso de 2012.



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges