As leituras de Marcelo

«Rebelo de Sousa apresentou, no seu “As escolhas de Marcelo”, a reedição do livro “Elegia para um caixão vazio”, de Baptista-Bastos, como o mais recente livro do autor. E dá opinião – um livro interessante como todos os de B-B. Vamos levar Marcelo a sério? Para quê?»

[Comentário, no Facebook, de José Teófilo Duarte]



Comentários

3 Responses to “As leituras de Marcelo”

  1. Sergio Batoques on Novembro 17th, 2009 20:46

    Concordemos que os romances de Baptista-Bastos nunca foram «interessantes», nem mesmo no tempo em que os escreveu. Mas por que razão deveria Marcelo lembrar-se de primeiras edições que aconteceram há mais de cinco séculos? Para ele é «novidade». Para mim e para outros, sempre serão, pois não fazemos tenção de ler tais coisas…

  2. castor on Novembro 18th, 2009 17:35

    Com toda a frontalidade e com o Castor debaixo do braço, ocorre-me a pergunta. Se nunca os leu, porque é que os acha desinteressantes? Se o romance em questão, na minha perspectiva interessante, se intitulasse “Elegia para um caixão vazio 9999″ passaria a ser obra-prima? Ai! Ai! Tanta navalha no “pinsamento”. Quanto ao Marcelinho temos de lhe dar o devido desconto. É assim, aquilo é do surf ou do skate. Prontos, sei láááá.

  3. zuogmi on Novembro 20th, 2009 1:23

    anha maind dizm c’o professor’ dvia ser saneado

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges