Balanço da Feira do Livro

Apesar dos bons resultados em termos de afluência e de vendas, uma grande parte dos editores presentes protestaram contra as datas e os horários da edição deste ano da Feira do Livro de Lisboa. E com toda a razão. Não faz sentido que a Feira abra portas no fim de Abril (sujeita à instabilidade meteorológica) só para satisfazer os timings do presidente da Câmara do Porto.

PS – Entretanto, ficou a saber-se que os grandes grupos editoriais (LeYa, Porto Editora e Babel) se demarcam do abaixo-assinado promovido por Luís Oliveira, editor da Antígona.



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges