Balanço provisório da Feira do Livro de Lisboa

Ainda sem números oficiais, tudo indica que as editoras que participaram na Feira só têm razões para estar satisfeitas. Segundo o Público, a APEL assinala um «aumento de afluência e de volume de vendas na edição deste ano». A LeYa terá vendido mais de cem mil livros e a Porto Editora registou um aumento de 40% no volume de negócios, em comparação com 2009 (que já foi, recorde-se, um ano de resultados bastante positivos).



Comentários

2 Responses to “Balanço provisório da Feira do Livro de Lisboa”

  1. salamandrine on Maio 25th, 2010 12:10

    mas essas não são (todas) as editoras, essas são só os monstros.

    e as outras?

  2. Pedro Lérias on Junho 1st, 2010 12:44

    E qual foi a quebra de vendas nas livrarias?

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges