Bertrand inaugura quatro novas livrarias em Novembro

A maior cadeia de livrarias de Portugal continua a ampliar a sua rede. Durante este mês, a Bertrand abrirá mais quatro lojas. Hoje, dia 5, é inaugurado um espaço com 163 metros quadrados no novo centro comercial Vivaci Guarda. Amanhã, será a vez do Fórum Barreiro (183 metros quadrados). Dia 20, no Spacio Shopping (ex-Olivaishopping), a área da loja Bertrand é ampliada para 166 metros quadrados, com design renovado. E por fim, a 26, nas Caldas da Rainha, o alvo é mais um centro comercial novinho em folha: o Vivaci Caldas.
A Bertrand passará assim a contar com um total de 57 livrarias.



Comentários

One Response to “Bertrand inaugura quatro novas livrarias em Novembro”

  1. Luís Graça on Novembro 6th, 2008 7:36

    Força aí com as inaugurações!

    Mas os meus alunos de Escrita Criativa queixaram-se de não ter conseguido encontrar “A Marca Amarela” nalgumas Bertrand…

    Se calhar eles não souberam procurar.

    Por acaso eu até fiz um périplo giro nas Bertrand à procura de “A Ronda da Noite”, da Agustina.

    Na Bertrand do Campo Pequeno estavam a demorar à brava ao telefone com a Bertrand do Picoas Plaza.

    Fui ao Picoas Plaza.

    No Picoas Plaza falaram com a Bertrand do Chiado e indicaram-me a sala e a estante.

    Cheguei à Bertrand do Chiado e não atinei com a sala e a estante. E não havia ninguém disponível para vir à estante. Mas no computador dizia que havia um. Saí e voltei, passado meia-hora. Uma pessoa da loja andou a bater tudo e afinal não sabiam do livro.

    Também é verdade que a táctica foi a errada. Devia ter ficado a mamar Mojitos no City Café e no dia seguinte, se não estivesse de ressaca, ia à Guimarães comprar o livro (foi o que aconteceu) e depois passava pela Bertrand só para ouvir uns niquitos de diálogo dos empregados — que não têm culpa nenhuma da formação que (não) lhes dão e alguns empregados há que se destacam pela positiva, mas são as excepções que confirmam o Peso da Régua — com os clientes. É sempre divertido.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges