Bibliotecas vivas

Os ingleses chamam-lhes living libraries e o conceito está a expandir-se, como se explica neste artigo do The Guardian.



Comentários

One Response to “Bibliotecas vivas”

  1. Importa-se que o leve? | Bibliotecário de Babel on Abril 12th, 2009 6:58

    […] itálico, à boa maneira do antigo BdE, sobre o fenómeno dos «livros humanos» (já referido aqui): IMPORTA-SE QUE O LEVE? Em tempos remotos, um escritor chamado Graham Greene (ou Graham Green, na […]

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges