Degelo

Por um conjunto de várias razões que não interessa especificar (mas digamos que a tríade ‘trabalho, trabalho, trabalho’ vem à cabeça), fui obrigado a deixar este blogue praticamente ao abandono nos últimos meses, o que muito me entristece. A falta de tempo nem sequer tem permitido a actualização mínima (e importantíssima para mim, ao permitir fazer desta página o meu arquivo profissional), pelo que demasiadas vezes o outrora pujante BdB se vem assemelhando a uma desolada ruína digital. Sem fazer promessas que posso depois não conseguir cumprir, o meu objectivo é sair aos poucos desta espécie de hibernação. Primeiro, partilhar aqui, retrospectivamente, os muitos textos entretanto publicados no Expresso (o tal arquivo). Depois, gradualmente, regressar a um ritmo de actualização aceitável. Gostava mesmo muito de conseguir voltar à normalidade até ao fim do ano. Vou fazer por isso.



Comentários

One Response to “Degelo”

  1. Adriana Crespo on Novembro 9th, 2014 9:26

    Um grande obrigado!…

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges