Entrar para ver como vão as coisas

É uma coisa que não se faz na FNAC (na FNAC entra-se para comprar um determinado disco ou livro, e já está). Mas é uma coisa que tento fazer, com alguma regularidade, na Poesia Incompleta. Entro, espreito as novidades poéticas, fico à conversa, prometo levar na próxima vez os desenhos que a minha filha faz para o seu livreiro preferido.



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges