Eu também fiquei “a arder”

O que aconteceu à Sónia, também me aconteceu. É, infelizmente, a triste sina de quem trabalha como freelancer. É um escândalo que se repete com excessiva frequência e impunidade. Um escândalo que se vai tornando habitual mas nem por isso menos escandaloso.



Comentários

2 Responses to “Eu também fiquei “a arder””

  1. Hugo Rodrigues on Junho 12th, 2012 16:50

    Não fazia ideia nenhuma de que havia gente que estava numa posição em que se vêm obrigados a passar recibos de €€€ que não receberam.

    Em teoria, os recibos verdes não são facturas; são um comprovativo de que efectivamente se recebeu o €€€. E que faz a retenção é quem paga, e não quem recebe.

    Os sacripantas que vos exigem esses recibos devem estar a contabilizar como custos quantias que não pagaram nem nunca tiveram intenção de pagar.

  2. José Mário Silva on Junho 12th, 2012 17:07

    Exacto, Hugo. É um esquema absurdo e perverso, uma inversão total das regras, mas é assim que funciona. Infelizmente.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges