Grandolar nas Correntes

Muito ao seu estilo, quase no fim da mesa 5, Rui Zink, que havia elogiado o verbo grandolar, divulgado por Sara Figueiredo Costa no Facebook, chantageou o público: «Eu não sou menos do que o ministro Relvas. Se ele, só com uma licenciatura, foi interrompido pela Grândola, eu, que sou doutorado, também quero ser. Vou continuar a falar durante mais três horas se vocês não me interromperem com a canção do Zeca.» O público, que enchia até à porta o Auditório Municipal, respondeu logo, levantou-se e cantou, maravilhosamente desafinado, os versos que tanto incomodam o governo da nação. Era inevitável. Tinha de acontecer. Neste tempo em que nos apequenam, é preciso grandolar em grande. E grandolámos.



Comentários

3 Responses to “Grandolar nas Correntes”

  1. Grunho on Fevereiro 23rd, 2013 12:49

    E eu, que não estava lá, daqui aplaudo.

  2. isabel ribeiro on Fevereiro 24th, 2013 9:54

    E grandolámos, sim senhor!

  3. Rodrigo Ferrão on Fevereiro 25th, 2013 22:06
«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges