Hoje, na secção de Livros do ‘Actual’

Luz Antiga, de John Banville (Porto Editora), por José Mário Silva
Agosto, de Rubem Fonseca (Sextante), por Pedro Mexia
Fala, Memória, de Vladimir Nabokov (Relógio d’Água), por Ana Cristina Leonardo
O Regicida, de Camilo Castelo Branco (INCM), por Hugo Pinto Santos
A Habitação de Jonas, de Inês Fonseca Santos (Abysmo), por José Mário Silva
Crónica, Saudade da Literatura, de Manuel António Pina (Assírio & Alvim), por Luís M. Faria
Novas Coisas da China – “Mudo, logo existo”, de António Caeiro (Dom Quixote), por Cristina Peres
– Escolhas de João Morales



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges