Humor negro, muito negro, nigérrimo

Fazer piadas sobre uma pessoa que se suicidou há poucos dias é um exercício a meio caminho entre o desassombro e a crueldade. Mesmo quando o autor é Vítor Elias, o mais desabrido e genial dos humoristas portugueses (se não contarmos com Ricardo Araújo Pereira), fica-nos um travo amargo na boca. O prolífico repórter do Inimigo Público publicou hoje a seguinte notícia:

«O conhecido escritor norte-americano David Foster Wallace, famoso desde que publicou, em 1996, o romance Infinite Jest, de quase mil páginas, enforcou-se esta semana na sua casa da Califórnia. “Cheguei a casa, vi o David pendurado do tecto e notei logo um monte enorme de folhas em cima da secretária. Na primeira página estava escrito ‘Minha querida, nasci em Ithaca, NY. A primeira impressão que tive na vida foi antes de nascer, mergulhado na placenta da minha mãe, etc’ e não consegui continuar a ler, porque percebi que a carta tinha para lá de 300 páginas”, explicou ao IP a mulher de David Foster Wallace. “Saltei logo para o final da carta, onde ele explica que se suicidou porque estava com um bloqueio e não conseguia suportar o pânico de olhar para duas resmas de 500 páginas cada em branco”, concluiu. De referir que David Foster Wallace suicidou-se atando uma corda ao tecto da sua casa, subindo para cima de um exemplar do seu livro Infinite Jest e saltando.»

O que dirá disto o Rogério?



Comentários

5 Responses to “Humor negro, muito negro, nigérrimo”

  1. R. Casanova on Setembro 19th, 2008 23:04

    Nos primeiros textos que li em blogues americanos sobre o suicídio, a piada do “a nota de suicídio deve ter 1000 páginas e notas de rodapé” era feita em 3 comentários diferentes. O problema da piada não é ela ser “desassombrada” ou “cruel”; é o facto de não ter grande piada.
    Ao contrário disto, por exemplo:
    http://www.theonion.com/content/news/nascar_cancels_remainder_of_season

  2. José Mário Silva on Setembro 20th, 2008 8:39

    O artigo do ‘The Onion’ é de facto brilhante, inteligentíssimo ‘in many ways’. E termina com uma deliciosa paráfrase do texto sobre o Federer a que me referi lá mais para baixo.

  3. R. Casanova on Setembro 20th, 2008 13:50

    A “mãe” da piada da nota de suicídio enorme também pode ser lida no The Onion, já agora:
    http://www.theonion.com/content/node/27769

  4. Luís Graça on Setembro 22nd, 2008 7:54

    Eu tenho uma certa dificuldade em passar certas fronteiras. Esta não seria capaz de ultrapassar. Por reverência. E eu até sou bastante cáustico. E o Elias vai bastante mais longe que o Ricardo de Araújo Pereira. Ainda mais longe…o JEL do “Vai tudo abaixo”.

  5. Quando o ‘Público’ recorre a ‘O Inimigo Público’ como fonte de informação algo vai mal, muito mal, no jornalismo português. Ou estarei a exagerar? | Bibliotecário de Babel on Março 4th, 2009 17:25

    [...] E agora relembrem o texto de Vítor Elias sobre a morte de David Foster Wallace que eu citei aqui. Sou só eu (e o Francisco Frazão) a achar isto um [...]

Leia os últimos textos publicados
«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges