Imagens de Matosinhos

Durante o LeV decidi ficar offline, com o computador e a ligação à internet muito sossegadinhos, lá no quarto do hotel. Há momentos em que é preciso simplesmente desligar. As impressões sobre o almoço na casa de chá do Siza, em Leça da Palmeira, ou as conversas na esplanada (entre escritores, jornalistas, escritores-jornalistas e jornalistas-escritores), ficam na esplanada, ficam em Leça. Importa ainda assim dizer que o público do LeV, apesar das muitas baixas (11 dos 17 autores estrangeiros não conseguiram ultrapassar o caos das ligações aéreas), o público do LeV não dispersou e encheu de novo a sala em quase todas as sessões. Na primeira, contei por alto umas 220 pessoas na assistência.
Quanto à face mais mundana do encontro, podem encontrá-la na completíssima reportagem fotográfica que o Paulo Ferreira, dos Blogtailors, está a fazer quase em tempo real, aproveitando as extraordinárias potencialidades do seu iPhone.



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges