Impressões telegráficas da Terceira

As vacas (claro). Os pequenos impérios coloridos. As neblinas. Uma família a descarregar, de uma carrinha de caixa aberta, lancheiras para o picnic. Os militares norte-americanos que falam alto nas esplanadas nocturnas. A lagartixa sobre a alcatifa azul do meu quarto. A humidade húmida, água pairando no ar. As vacas na estrada (claro), som de cascos no asfalto. O dragoeiro majestoso derramando-se sobre a rua, preso entre duas fachadas. As manchas de luz no mar. Um cacto em forma de louva-a-deus. A nostalgia dos actores. O donete capaz de enlouquecer Homer Simpson, comido junto às piscinas naturais dos Biscoitos. Uma procissão com banda filarmónica e fatos de domingo. Mais vacas (claro).



Comentários

2 Responses to “Impressões telegráficas da Terceira”

  1. filipa on Setembro 6th, 2009 16:25

    já dei valentes mergulhos nos biscoitos, que coisa boa. saudades da ilha. e foste à silveira? beijinhos!

  2. Júlio on Setembro 7th, 2009 13:36

    Piscinas “dos” Bicoitos. E as donetes são boas.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges