‘Leitura Furiosa’

leitura_furiosa

Até domingo, vou andar pelo meio de gente «zangada com a leitura», a ouvir histórias, a escrever um texto, a visitar uma livraria, a espreitar outras histórias que outros grupos hão-de contar a outros escritores, em Lisboa, no Porto, em Amiens e em Kinshasa. Até domingo, para mim a leitura (o meu vício, o meu ofício) vai ser furiosa, a ver se contamina quem dela nada quer ou nada espera.
Este ano, couberam-me seis crianças de uma escola perto do Castelo. O Armando Silva Carvalho vai estar com os sem-abrigo da Almirante Reis, o Jaime Rocha com idosos da Mouraria e o Jacinto Lucas Pires com idosos de S. Cristóvão e S. Lourenço, o Miguel Castro Caldas com estrangeiros refugiados (algures na Bobadela), a Filomena Marona Beja e o Raul Malaquias Marques com crianças do primeiro ciclo (como eu), o Mário de Carvalho com adolescentes do antigo Liceu Gil Vicente.
No domingo, às 15h00, na Casa da Achada, os textos e os desenhos criados entre hoje e amanhã serão lidos, cantados, exibidos a quem os quiser ver e ouvir, juntamente com os que chegarão das outras cidades em que a Leitura Furiosa acontece.
Tentarei que parte desta energia também alcance, ainda não sei bem como, este blogue.



Comentários

One Response to “‘Leitura Furiosa’”

  1. isabel ribeiro on Maio 29th, 2010 20:39

    Uma experiência para não esquecer, aposto. Fascinante. Preparados para umas boas lições de(a) vida? E os EPs? Ficaram de fora? São locais que nos proporcionam uma visão diferente sobre a sociedade em que vivemos. Que hipocrisia vai por este mundo, haja que se disponha a levantar o véu e a mostrá-la… Venha o partilhar!! E bom trabalho.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges