LeYa menos

Era previsível. Enquanto grupo, a LeYa só arranca no final do mês, mas as deserções já começaram. Se a transferência de Francisco José Viegas para a Bertrand se compreende, uma vez que vai dirigir a partir de Maio a revista Ler, do grupo Bertelsmann/Círculo de Leitores (evitando assim conflitos de interesses), já a saída de Manuel Alberto Valente, um dos melhores editores portugueses (editor-editor, a sério, para quem a literatura é muito mais do que um negócio), representa um sinal claro do que aí vem.
Valente escreve a meias com Viegas na blogosfera. Ao contrário deste, ainda não explicou as suas razões. Nem precisa. Qualquer pessoa com dois dedos de testa adivinha quais foram e sabe que não auguram nada de bom.



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges