Me, Isabel and Saramago (2)

A sessão foi longa, eu não consegui acesso à net (e mesmo que tivesse conseguido, era impossível conversar e blogar ao mesmo tempo), a audiência pareceu gostar, pelo menos as cem pessoas presentes na sala (a que se deverão somar outras mil e tantas que assistiram online, segundo números provisórios do portal Sapo), mais tarde tentarei resumir aqui as minhas impressões sobre o encontro.
Entretanto, vale a pena ler o relato feito pela Sara Figueiredo Costa e a reportagem do Público (por enquanto sem link), assinada por Joana Amaral Cardoso, que curiosamente oblitera o «quem?» da checklist mental que qualquer jornalista vai riscando enquanto escreve uma notícia, fazendo passar a ideia (errada) de que Saramago falou sozinho.



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges