‘Menina Else’ na Cornucópia

A estreia da versão teatral de Menina Else, um romance curto de Arthur Schnitzler transformado em monólogo dramático (interpretado pela actriz Rita Durão), acontecerá esta noite (21h30) no Teatro do Bairro Alto. Christine Laurent é a responsável pela adaptação e encenação, enquanto Cristina Reis assegurou (como sempre) o cenário e os figurinos. O desenho de luz coube a José Álvaro Correia.
A tradução do texto de Schnitzler, feita por José Maria Vieira Mendes, é a do livro publicado pela Cotovia em 2008 e recenseado por mim aqui. Um excerto:

O que faz a grandeza literária desta novela de Schnitzler, publicada originalmente em 1924, não é tanto a história (drama psicológico de uma burguesa romântica) mas o modo como a narrativa se desenvolve, através de um tumultuoso monólogo interior que regista tudo o que vai cruzando a consciência de Else: imagens, fragmentos de conversas, frases repetidas, inquietações, sonhos, ideias fixas, perguntas sem resposta. A cabeça de Else, prisma que capta (ou distorce) a realidade circundante, é o único local da acção. E Schnitzler, ao mostra-nos de dentro a forma como essa acção implode, transporta-nos, maravilhados, aos limites mais íntimos da experiência humana.



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges