Novidade

Durante a primeira quinzena do próximo mês, vou publicar, na Oficina do Livro, o meu primeiro livro de ficção: 49 contos curtos e 38 miniaturas (contos ainda mais curtos do que os contos curtos). Título: Efeito Borboleta e outras histórias.



Comentários

18 Responses to “Novidade”

  1. Saint-Clair Stockler on Maio 19th, 2008 0:00

    PARABÉNS!!!! O primeiro livro a gente nunca esquece :-)

  2. Nuno Seabra Lopes on Maio 19th, 2008 9:57

    Ena!

    Agora somos nós que queremos receber o livro :)

  3. O homem que era quinta-feira on Maio 19th, 2008 12:57

    Parabéns

  4. rui vieira on Maio 19th, 2008 14:04

    Parabéns e SUCESSOS (que não tenho dúvida),
    Fico com uma curiosidade enorme de ver essas folhas. Até porque desde que leio o que pensas do Monterroso acredito que colocas a tua fasquia muito alta.
    A admiração e o abraço do,
    rui vieira

  5. José Mário Silva on Maio 19th, 2008 14:42

    Obrigado a todos.
    Como é óbvio, irei dando aqui conta dos vários passos da vida do livro (a capa, alguns excertos, o lançamento, etc.).
    Quanto à fasquia alta, caro Rui Vieira, nem de propósito é esse o objecto de uma das “miniaturas” incluídas no livro:

    A fasquia

    Em tudo aquilo a que se lança, coloca a fasquia alta, cada vez mais alta, altíssima. Tão alta que com o tempo deixa de a ver.

  6. Paulo Ferreira on Maio 19th, 2008 15:09

    Espero que não tenhas planeado o lançamento para a feira do livro 😉

    abraços, parabéns
    paulo

  7. Victor Afonso on Maio 19th, 2008 15:27

    Muito boa notícia! Aguardo por esa edição.

    Saudações,
    VA

  8. O Salgador da Pátria on Maio 19th, 2008 15:42

    Porreiro pá!! :)

  9. Leonardo on Maio 19th, 2008 22:07

    Portanto agora nada de dizer mal do Leya por aqui.

    Como é que disseste uns posts atrás?

    “Eu sei que o meu dever de blogger era acompanhar minuto a minuto as notícias sobre a Feira do Livro de Lisboa, divulgar todos os comunicados da APEL, todas as tomadas de posição da CML, todos os volte-faces de um imbróglio que parece não ter fim à vista. Noutros tempos, sobre outros assuntos, foi isso que fiz e sei bem o que o Sitemeter ganha com estes acompanhamentos quase em directo. Acontece que desta vez não me apetece entrar em semelhantes correrias. Falta-me o tempo e, mais do que isso, a paciência.”

    Tempo e paciência, pois pois….

  10. Leonardo on Maio 19th, 2008 22:10

    Mais uma pérola do Zé Mário:

    “Agora impõe-se o que há muito devia ter acontecido e não aconteceu: acabar com as guerras de alecrim e manjerona entre associações, recomeçar do zero com uma estrutura unificada (capaz de reflectir a realidade presente do mundo editorial português) e pensar num novo modelo de Feira para 2009, de forma a que a triste telenovela deste ano não se repita.
    Será assim tão difícil?”

    Claro, vamos ser todos amiguinhos e dar muitos beijinhos no Isaías e no Paes do Amaral, que são nossos amiguinhos…

  11. José Mário Silva on Maio 20th, 2008 7:08

    Já agora, Leonardo, com tanto copy/paste também podias ter citado esta passagem:

    “Esta manhã, ouvi o Fórum TSF de fio a pavio (incluindo a tonitruante entrada em cena de Isaías Gomes Teixeira, que até apresentou algumas razões válidas mas a destempo).”

    Quando o grupo LeYa surgiu, fui dos poucos na blogosfera a torcer o nariz a tanta concentração editorial. Essas reticências não se atenuaram. Agora que o grupo cresceu ainda mais, continuo a ter muitas dúvidas sobre os benefícios que esta mudança possa trazer ao mundo do livro em Portugal.
    Imaginar que não direi o que penso, ou que farei algum tipo de autocensura, pelo facto de publicar numa editora do grupo LeYa (o que ainda não é o caso da Oficina do Livro, convém salientar, embora para lá caminhe) só pode passar pela cabeça de quem não me conhece.
    Escusas de esperar, caro Leonardo, é que eu me ponha a criticar tudo o que a LeYa faça ou proponha, só para provar aos cínicos do costume a minha independência. Para isso é que, garanto-te, não tenho tempo nem pachorra.

  12. O homem que era quinta-feira on Maio 20th, 2008 13:11

    E assim está a “novíssima literatura portuguesa”: os maus escritores vomitam romances de 600 páginas, os bons, prudentes como são, dedicam-se ao liliputianismo editorial: micro-ficções, poesia e para consumo privado, contos com muita sorte e honras de romance consumado,etc. Não ponho em causa a qualidade do seu livro, JMS (sem ironia), mas gostaria de o ver, a si como aos outros bons poetas e escritores que temos, com projectos mais arrojados, para por isto na linguagem rafeira de que tanto gosto.

    parabéns de novo
    (tinha-me esquecido de bitáitar da ultima vez que cá vim comentar)

  13. joao leal on Maio 20th, 2008 13:40

    E vai continuar a fazer critica literária depois de publicado o livro?

  14. José Mário Silva on Maio 20th, 2008 22:27

    Claro que vou continuar a fazer crítica literária. Onde é que está o problema?

  15. joao leal on Maio 21st, 2008 7:37

    Problema? Nenhum!
    Era só para saber. Ainda bem que continua.
    Não sei se haveria alguma questão ética (que no meu entender, a haver, não faria sentido) com a questão.
    Só isso.

    1 abraço e boa sorte

  16. Gaspar Matos on Maio 21st, 2008 18:40

    Já tinha tomado contacto com os microcontos no Guia da Noite (101Noites). Pareceu-me não só uma excelente ideia como algo bastante promissor para a promoção da leitura entre os jovens (nomeadamente pela vertente “experimenta, que não demora nada”).
    Quem sabe se, assim, beberricando folhas, se estimula a ingestão de outros pratos mais “pesados” (ou a continuação nessa literatura mais light – apenas em volume de páginas, ressalve-se).

    Parabéns, JMS, e felicidades para esse lançamento!

  17. gl on Maio 26th, 2008 14:42

    boa, boa! cá o esperamos! parabéns! :)

  18. Alvina Fernandes on Maio 27th, 2008 13:39

    Como eu acho que a música está diretamente ligada a poesia ai vai uma sugestão!!

    Está nascendo uma nova estrêla na música popular brasileira. Cantora e compositora Vanessa Morais aos 23 anos já é conhecida no Brasil e exterior.

    A mineira Vanessa Morais de 23 anos,vem se destacando como a melhor revelação dos últimos tempos da música pop .
    Suas músicas vem agradando a um grande número de fãs espalhados por todo o Braisl e exterior.
    Além de interprete a gatíssima Vanessa Morais vem se destacando como compositora. Suas canções as vezes dançantes ou extremamente românticas vem agradando a todas as idades.
    Dona de uma voz doce e suave vem deixando sua marca por onde passa e uma legião de fãns ardorosos.
    Seu primeiro cd foi lançado a dois anos e divulgado pela internet. Primeiro pela europa e agora em todo o Brasil.
    Já com alguns convites e contratos para analisar a cantora Vanessa Morais diz que está satisfeita com o resultado do seu trabalho que já começa a ter retorno.

    Site: http://www.vanessamorais.com

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges