O Clube dos Leitores Gulosos

A ideia, apetitosa, é do Luís Filipe Cristóvão:

«A LivrodoDia está a promover um clube restrito, um pouco snob, até. Simplesmente não é para qualquer um. É para leitores ávidos, insaciáveis, exigentes, gulosos. Saboreiam a Literatura, têm as suas preferências e receitas favoritas, veneram um ou outro mestre. Mas se há aqueles a quem, num texto, não escapa uma gralha, a estes não escapa a sugestão de um aroma, a referência a um prato da infância, a inebriante alusão a um ingrediente exótico de que se desconhece o sabor. Leu todos os livros de Asterix? Se salivou ao pensar em javali assado no espeto, é um dos nossos. Se Os Maias lhe dá vontade de ir a Sintra comer queijadas, é um dos nossos. Se interrompeu a leitura de Dona Flor e seus Dois Maridos para copiar, religiosamente, a receita do vatapá, saiba que não está sózinho. Aprendeu com Luís Sepúlveda onde se come a melhor sopa de peixe do mundo? O nome Manuel Vásquez Montalbán deixa-lhe água na boca? Junte-se a nós. O convite está feito. O Clube de Leitores Gulosos reune-se na LivrodoDia para falar de boca cheia. A mesa estará posta com livros e comida. Traga só o apetite.»

A primeira sessão já tem data marcada: 29 de Maio, 21h30. E tema: «trincar a madalena». O preço é quase simbólico: cinco euros. Inscrições na Loja Livrododia (Torres Vedras), por email (luis.cristovao@livrododia.com.pt) ou pelo telefone 261 314 286.



Comentários

4 Responses to “O Clube dos Leitores Gulosos”

  1. anderson on Maio 20th, 2009 23:53

    interessante

  2. Pedro Borges on Maio 21st, 2009 1:47

    o l. f. cristovao é um entertainer. nada mais.

  3. jokerine on Maio 21st, 2009 17:33

    Quando era criança li toda a colecção dos Cinco, da Enid Blyton, e dava-me sempre uma fome dos diabos de todas aquelas coisas boas que ela descrevia nos lanches das personagens

  4. Uma Madalena em Torres Vedras « O País da Mesa on Maio 22nd, 2009 12:03

    […] tenha tempo para ir a Torres Vedras pode confirmá-lo no novo Clube dos Leitores Gulosos, uma ideia levada à cena na livraria […]

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges