O que a Dom Quixote nos vai trazer em Setembro

Poesia, de Manuel Alegre (obra poética completa em dois volumes). E se fosse um intervalo, de Ana Luísa Amaral (primeiro livro da poeta na sua nova editora). Quinta das Virtudes, de Mário Cláudio (reedição de um romance de 1990). Eu, Peter Porfírio, o Maioral, de Alaor Barbosa (finalista do Prémio LeYa). A Consciência de Zeno, de Italo Svevo (quarto título da Biblioteca António Lobo Antunes). Indignação, de Philip Roth. A Ignorância do Sangue, de Robert Wilson. O Tambor de Lata, de Günter Grass (reedição comemorativa dos 50 anos deste livro). A Minha Primeira Sophia, com texto de Fernando Pinto do Amaral e ilustrações de Fernanda Fragateiro («a vida e a obra de Sophia de Mello Breyner Andresen contada aos mais novos»). E mais alguns ensaios sobre a crise financeira, a II Guerra Mundial e o Ambiente.



Comentários

2 Responses to “O que a Dom Quixote nos vai trazer em Setembro”

  1. Rui Viegas on Julho 30th, 2009 14:43

    A Consciência de Zeno é um grande livro. Tenho uma edição velhinha da Minerva que custou muito a encontrar… É sem dúvida uma boa nova

  2. Edilson Pantoja on Julho 30th, 2009 15:01

    Pena que livro importado custa caro para o Brasil. Mas esses dias li que o Grupo Leya pretende “atacar” diretamente o mercado brasileiro.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges