O que aí vem (Babel)

Correspondência 1952-1971, de Jorge de Sena e António Ramos Rosa (edição de Mécia de Sena e Jorge Fazenda Lourenço, com a colaboração de Agripina Costa Marques e Inês Espada Vieira); Cividade, de Agustina Bessa-Luís (conto inédito); A Sombra dos Lugares, de Luís Felício (poesia, Prémio Literário Cidade de Almada); A Arte Sem História – Mulheres e cultura artística, de Filipa Lowndes Vicente;



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges