O que aí vem (e eu esfrego as mãos de contente, em antecipação)

  • Num dos almoços das Correntes, o Jorge Sousa Braga garantiu-me que sairá em breve, na Assírio, a sua tradução de uma antologia do poeta polaco Zbigniew Herbert (de que faz parte este poema, revelado aqui no BdB). O título: Escolhido pelas Estrelas.
  • Leonardo Padura revelou estar a escrever neste momento um romance sobre Leon Trotsky e o seu assassino, Ramón Mercader.
  • Diogo Madre Deus, da Cavalo de Ferro (a editora que em 2007 publicou a primeira tradução completa do Orlando Furioso para a nossa língua), garantiu-me que na Primavera dará à estampa um romance que já se perfila como o grande acontecimento editorial de 2008: Rayuela, de Julio Cortázar. O título português será, em princípio, O Jogo da Vida.



Comentários

14 Responses to “O que aí vem (e eu esfrego as mãos de contente, em antecipação)”

  1. Saint-Clair Stockler on Fevereiro 20th, 2008 1:57

    A respeito do Cortázar, uma dúvida: na Europa as crianças não brincam do jogo da amarelinha (rayuela)?

    A tradução brasileira do livro é “O Jogo da amarelinha”. Não poderia ser o título em Portugal?

  2. C on Fevereiro 20th, 2008 7:36

    Very nice poem.

  3. José Mário Silva on Fevereiro 20th, 2008 8:41

    Saint-Clair,

    Em Portugal, se traduzíssemos à letra, o título seria ‘O Jogo da Macaca’, que não é propriamente uma designação muito elegante.

  4. fallorca on Fevereiro 20th, 2008 11:10

    Zé Mário, então e “Cabra Cega”?

  5. Saint-Clair Stockler on Fevereiro 20th, 2008 11:48

    José Mário: obrigado pelas informações. Realmente, não ficaria nada bonito. Mas “O jogo da vida” me parece um título tão… não sei bem precisar… tão clichê. Além do mais, no Brasil haveria a imensa desvantagem de já haver a tradução de um romance de Anne Tyler com o mesmo título.

    Fallorca: aqui no Brasil, pelo menos, “cabra cega” e “jogo da amarelinha” são duas brincadeiras infantis distintas.

  6. fallorca on Fevereiro 20th, 2008 12:49

    Saint-Clair Stockler, não interprete o comentário como arrogante ou ofensivo, porque não é, mas estamos a falar de uma edição em língua portuguesa… 😉

  7. João Ventura on Fevereiro 20th, 2008 17:14

    Seja lá qual for o título, e não é que isso não seja relevante, o que registo é que, finalmente, vamos ter a «Rayela» em português. Obrigado pela boa notícia.

  8. João Ventura on Fevereiro 20th, 2008 19:28

    Hoje é já a segunda vez que me cai uma letra do meio de uma palavra. «Rayuela», claro, que comprei não há muito tempo numa livraria de Santiago do Chile e que vou lendo seguindo «el tablero de dirección» que nos conduz de um capítulo a outro, como num jogo de cabra-cega.

  9. fallorca on Fevereiro 20th, 2008 19:32

    Ora vê, como não só encontrou a tal letra, o “U” em falta, como acabou por dizer o tal título?
    Abraço :)

  10. Saint-Clair Stockler on Fevereiro 20th, 2008 21:57

    Fallorca: eu entendi :-)

    Só queria saber se “cabra cega” e “jogo da macaca” são o mesmo jogo aí em Portugal, porque não tenho essa informação e sou curioso… rsrsrs.

  11. José Mário Silva on Fevereiro 20th, 2008 22:16

    Saint-Clair,
    Que eu saiba, são dois jogos diferentes. O jogo da macaca é feito saltando entre linhas marcadas no chão, a cabra-cega é uma criança vendada no meio de outras, tentando adivinhar a identidade do primeiro vulto que apanhar.

  12. Saint-Clair Stockler on Fevereiro 22nd, 2008 1:55

    Oi José Mário,

    Então é que nem aqui :-)

  13. lili on Fevereiro 23rd, 2008 1:18

    Olá, Saint!
    O mundo é mesmo pequenino:D

    Beijo

  14. Saint-Clair Stockler on Fevereiro 23rd, 2008 14:25

    Lili,

    Amiga querida! Que bom vê-la por aqui… O mundo é mesmo pequenino 😉

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges