O que aí vem (Objectiva)

O filho de mil homens, de Valter Hugo Mãe; O Mapa e o Território, de Michel Houellebecq (Goncourt 2010); O crepúsculo de um ídolo, de Michel Onfray; A Purga, de Sofi Oksanen; As mais belas fábulas africanas, de Nelson Mandela; Fragmentos, de Marilyn Monroe; Caderneta de Cromos Contra-ataca, de Nuno Markl.



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges