“Para dedicarmos um livro, é preciso que ele seja dedicável”

Na mouche, a crónica de Pedro Lomba sobre o dilema das dedicatórias.



Comentários

One Response to ““Para dedicarmos um livro, é preciso que ele seja dedicável””

  1. Margarida F. on Março 28th, 2008 20:29

    Deliciosa crónica.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges