Prémio Fundação D. Inês de Castro 2012 para Maria do Rosário Pedreira

A distinção, composta «por um troféu desenhado pelo escultor João Cutileiro, uma estadia de oito dias na Quinta das Lágrimas, em Coimbra, onde viveu Inês de Castro, e por “um valor pecuniário simbólico”», foi atribuída ao livro Poesia Reunida, editado há poucos meses pela Quetzal. O júri, de que fizeram parte José Carlos Seabra (presidente), Mário Cláudio, Fernando Guimarães, Frederico Lourenço e Pedro Mexia, distinguiu ainda a obra de Almeida Faria com um Tributo de Consagração.



Comentários

Comments are closed.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges