Rescaldo

No resultado das eleições presidenciais de hoje, o que me entristece mais não é o triunfo esmagador da abstenção, nem o triunfo tangencial do candidato que se recusa a explicar os seus negócios nebulosos. O que me entristece é a falta de nível de quem vence e não saúda os adversários, de quem vence e pensa que os votos lhe dão imunidade face ao escrutínio público, de quem vence e se reclama senhor da Verdade, em luta contra supostas infâmias que eram apenas perguntas legítimas. O discurso do vencedor foi o discurso de um homem acossado, inseguro, raivoso e frágil. Não era certamente disto que o país precisava.



Comentários

2 Responses to “Rescaldo”

  1. Loucuras on Janeiro 25th, 2011 0:09

    “Triunfo tangencial”? Então não ganhou por mais de 30% sobre o segundo? Se a Casa Pia tivesse sido durante a campanha para a sua reeleição, o Sampaio também teria reagido assim. De qualquer modo, tirando essa do triunfo tangencial, de acordo com tudo.

  2. a on Janeiro 25th, 2011 10:35

    não podia estar mais de acordo.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges