Separados à nascença

Miguel-Manso

Herman Melville



Comentários

9 Responses to “Separados à nascença”

  1. Joaquim Carvalho on Janeiro 7th, 2011 15:07

    Este blogue está a tornar-se numa Caras ou Lux literária. Adeuzinho e passe bem.

  2. csd on Janeiro 7th, 2011 22:24

    foram clonados!

    CSD

  3. joao on Janeiro 8th, 2011 1:55

    vim directamente aqui fazer um comentário, que seria do genero do que aqui já esta feito…mas… miguel manso!!?? mama mia!!um poeta à força. mainstream do elitismo da poesia contemporânea……..um pop-oeta!!!

  4. augussto on Janeiro 8th, 2011 15:47

    Manso nao rima com Melville
    mas sim com tanso
    Caras no thanks please!

  5. Diana Teles Pereira on Janeiro 8th, 2011 16:03

    Há enormes diferenças, facilmente detectáveis: por exemplo, a Melville só lhe deram o devido valor postumamente, e a Manso estão a dar-lhe valor antes que faça ou escreva algo de relevante. É só um rapaz que escreve alguns bons poemas, outros engraçados e muitos maus.

  6. José Mário Silva on Janeiro 8th, 2011 18:15

    Ui, o ódio. Ui, a cegueira. Ui, a seriedade ridícula. Ui, a minha falta de paciência para aturar certas coisas.

  7. José Mário Silva on Janeiro 8th, 2011 18:21

    Isto não é a ‘Caras’, meus amigos, nem nunca será. Isto são só duas caras. Isto são só dois caras (como diriam os brasileiros). Isto é uma brincadeira, uma evocação de certa rubrica que existiu em tempos n’ ‘O Independente’.
    Não gostam? Azar. Ninguém os obriga a frequentar o estaminé.

  8. Jonas on Janeiro 8th, 2011 18:26

    Bravo, muito bem apanhado.

  9. Hugo Milhanas Machado on Janeiro 9th, 2011 12:40

    É mesmo.

«Tenho a suspeita de que a espécie humana - a única - está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta» Jorge Luis Borges